Controle de impostos – Quanto sua empresa está pagando a mais de impostos?

<![CDATA[Quem tem empresa sabe que o ICMS ST, junto com o PIS e COFINS, é o grande vilão de todos os tempos e pode comprometer a saúde do caixa. Ainda mais, se a empresa não tiver conhecimento ou suporte em legislação tributária para estabelecer o controle de impostos.
Em alguns estados, é concedida a redução da alíquota e até mesmo isenção da cesta básica do imposto, mas muitas empresas não restituem por falta de conhecimento e por não possuir um controle de impostos pagos.
Outro imposto que aterroriza empreendedores é o ISS, por exigir cautela com o CPOM, que atinge milhares de empresas que acabam pagando ISS maior que o valor devido. Por isso, é importante analisar a necessidade de se cadastrar e o percentual que incide sobre ele.
Para saber se a empresa paga impostos indevidos, a melhor saída é contratar um assessoria contábil, que deverá analisar o extrato do Simples Nacional, que mostra de forma detalhada os impostos pagos no regime do Simples.
Outros itens que devem ser analisados para controle de impostos são os documentos de entrada e saída da empresa, a verificação imprescindível do NCM, do cálculo do imposto no ICMS ST, CFOP utilizado e data da venda.
Com essa análise, impostos que mais costumam trazer problemas para os contribuintes como ICMS ST, PIS, COFINS e ISS, capazes de causar desiquilíbrio financeiro, podem ser pagos devidamente, sem repercutir em prejuízo ou transtornos inerentes à restituição.

Conheça 5 negócios que se enquadram no regime monofásico e tenha o controle de impostos da sua empresa

Administradores de empresas e profissionais da área contábil já devem em algum momento ter ouvido falar em produtos monofásicos. São os produtos que fazem parte de uma cadeia produtiva e somente o primeiro dela realiza o pagamento tributário sobre o produto.
Funciona como uma substituição tributária, pois incide sobre apenas um responsável. No caso de supermercados, estabelecimento de atacado ou varejo, por exemplo, é o importador ou o fabricante o responsável pelo recolhimento dos tributos e a empresa tem taxa 0%.
Dessa forma, o regime monofásico pode ser explicado como um mecanismo de substituição tributária que permite às empresas economizar com o pagamento dos tributos PIS e COFINS.
A economia é proveniente de produtos monofásicos, sobre os quais a legislação tributária determina que esses dois impostos sejam cobrados apenas na primeira fase da cadeia, ou seja, do fabricante.
A lista desses produtos é extensa e abrange itens importados ou fabricados. Portanto, podem solicitar os créditos das contribuições de PIS e COFINS dentro do regime monofásico empresas que correspondam aos seguintes critérios:

  • Pertencer ao setor de atacado, varejo, revendedores, supermercados, autopeças, bares, restaurantes, farmácias, perfumarias, postos de combustíveis, entre outros.
  • ser participante do Simples Nacional
  • enquadrar nos modelos de pequeno ou médio porte

Empresas que não fazem essa substituição efetuam o pagamento de tributos (PIS/COFINS) que já foram realizados por seu fornecedor ou pelo fabricante. Se já fez o pagamento, pode recuperar os créditos para o pagamento de outros tributos com as autoridades federais.

Quais os maiores desafios das empresas que têm valores a restituir?

É expressivo o número de empresas que pagam impostos a mais e acabam perdendo completamente o muito dinheiro. Mas isso, porque a maioria delas não conhece seus direitos. Nem tudo está perdido e é possível solicitar a recuperação tributária desse prejuízo.
Como todos já sabem, a carga tributária brasileira é demasiadamente alta e o processo de pagamento ganha pela complexidade. Por isso e pela falta de conhecimento da legislação tributária, muitas empresas pagam impostos da forma incorreta.
As empresas que optam pelo Simples Nacional, por exemplo, podem ter um faturamento de até 4.8 milhões de reais, mas caso paguem impostos a mais, podem sofrer com um processo complexo e burocrático de restituição.
Além da complexidade do processo de restituição, essas empresas muitas vezes não dispõem de ajuda especializada para realizar o controle de impostos, o que dificulta o retorno do dinheiro para seu caixa.
Dessa forma, a falta de ajuda especializada e a falta conhecimento na área contábil e legislativa tributária aparecem como os maiores problemas de empresas que tem valores a restituir e não sabem como proceder para retomar o controle de impostos.
A Gaffa Contabilidade oferece todo suporte que sua empresa precisa, com assessoria empresarial diretamente com especialistas de cada segmento, priorizando sempre as necessidades apresentadas, com máxima agilidade e competência.]]>

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Print
Email